Vereador doutor Cristóvão: “A falta de segurança é gritante na zona rural de Estância”

                                                                                                                A onda de assaltos, de arrombamentos e de outros delitos tem tirado o sossego dos estancianos, também, da zona rural; isso motivou o vereador Cristóvão Freire (PSB) a fazer uso do pequeno expediente na sessão ordinária de quarta-feira, 27, ele que é bem relacionado com a zona rural, cobrou dos poderes públicos, municipal e estadual, uma força tarefa para reduzir a onda de assaltos que assolam povoados e colônias de Estância.

A falta de segurança é gritante na zona rural de Estância. Eu não entendo porque o Município tem um corpo de guarda eficiente e os seus coordenadores não determinam que seja feita uma blitz, no mínimo, uma vez por semana nas comunidades rurais – indicou.

Doutor Cristóvão ressaltou que as colônias Entre Rios, Rio Fundo III e São José, possuem escolas com equipamentos de informática, aparelhos de TV, merenda escolar e que pela ausência de agentes de contenção à violência são passivas de ações de roubo e furto como aconteceu com o colégio da Praia do Abais que sofreu arrombamentos por mais de 10 vezes.

Sabemos que a GM não é polícia de prevenção, mas é policia de proteção aos órgãos públicos do município. Temos na Colônia Estancinha um colégio equipado, temos uma UPA – Unidade de Pronto Atendimento – passivos da ação de vândalos que pode causar grande prejuízo ao Município e que pode ser prevenido com o aporte da ronda da Guarda Municipal – disse Cristóvão.

O parlamentar lembrou que o Povoado Farnaval, por exemplo, é o ponto turístico mais procurado depois da Praia de Abaís.  Ressaltou que a falta de segurança é gritante. “Não se vê um agente da Guarda Municipal, não se vê a presença da Polícia Militar. Ali se concentra grande quantidade de banhistas, de veranistas nesta estação do ano”, reclamou.

Faço um apelo aos coordenadores da GM que coloque os agentes para realizarem ronda, com isso, garantirão a proteção do patrimônio do Município que é a finalidade específica da Guarda Municipal. Logo, estarão garantindo a proteção dos moradores dessas comunidades, porque a presença da GM inibe o ato dos vândalos contra os órgãos públicos e contra as residências dos moradores – continuou o edil.

Em meio ao discurso, o tribuno citou a necessidade de agilidade dos reparos que estão sendo feitos nas pontes de responsabilidade do Município. 

– Tem quase um ano que a ponte da Muculanduba está com a estrutura pronta, eu pergunto, o que falta para terminar?  A ponte do Grotão está com sua estrutura pronta, a ponte do Cupim também, o que falta para serem concluídas? Espero que o prefeito Gilson Andrade exija dessas empresas mais agilidade, que elas cumpram o prazo acordado na licitação – cobrou.

Há mais de oito anos tenho solicitado, por meio de ofício e fotos, que o Governo do Estado olhe para as pontes que são da sua competência. As pontes estão em situação precária, oferecendo risco de acidente, tal qual, aconteceu em 2014, quando uma desabou ceifando vidas de trabalhadores. Será que e isso que o governo do estado quer – indagou.

“Peço os colegas desta Casa, aliados do governo, que levem o apelo desse vereador do interior que se preocupa com a segurança dos trabalhadores da zona rural de Estância”, concluiu.

 

Ascom CVE

Genílson Máximo