Vereador Misael Dantas: “Os políticos de Estância precisam se unir em defesa do Matadouro Municipal”

O vereador Misael Dantas Soares (PSC), na sessão de quarta-feira (28/11), foi efusivo ao discursar: “Enquanto a posição nesta Casa diz que o prefeito nada faz e a situação rebate dizendo que o prefeito faz tudo, a cidade de Estância vivencia um grande problema com a ameaça de fechamento do seu Matadouro Municipal”, navegou por ai o introito da sua homilia no plenário.

Continuou dizendo que Estância está na iminência de perder o seu matadouro igual a outros municípios da região Sul. “Não existe data definida para esse fechamento do matadouro, mas estamos sob aviso”, alertou.

Estância sedia Hospital Regional, Diocese, Diretoria Regional de Educação, Tiro de Guerra; Estância continuamente é referência no estado em relação à Região Sul, destacou o edil.   “E agora  chega-nos  à notícia de que o MPE e o MPF podem determinar o fechamento do nosso matadouro. Como ficam os nossos fornecedores, como ficam os marchantes, os magarefes, as fateiras”, indagou o social cristão.

“Em vez de permitirmos que o matadouro seja fechado, é necessário que haja uma união dos políticos do município, independente da cor partidária, se juntem para que o nosso matadouro seja transformado em um Matadouro Regional”, sugeriu.

Misael Dantas grifou alertando que não adianta baixar a cabeça e ficar na tribuna da Casa batendo na mesma tecla sem buscar alternativas.

É preciso fazer com esse assunto seja levado para fora. Ficam todos de olho em Itabaiana, em Lagarto, enquanto Estância é atirada a este preconceito. Nosso matadouro atende a Santa Luzia, a Indiaroba, a Umbaúba. Abate cerca de mil cabeças ao mês, emprega mais de cem trabalhadores; como veem é um matadouro importante para a economia local”.

“O fechamento do nosso matadouro não constitui apenas no fechamento, é tirar de Estância a sua tradição de ter um matadouro, é sepultar a sua cultura de matadouro, é desarranjar a vida de famílias que estão na quarta geração trabalhando como magarefe, marchante, fateira e fornecedores”, reclamou.

O vereador Misael Dantas defende a transformação do matadouro em um Matadouro Regional que possa acolher os onze municípios vizinhos no que tange ao abate de gado e, para isto, conclama os políticos do município para se unir para salvar o matadouro da cidade.

“Nós reconhecemos que este matadouro está pequeno. Temos que encontrar alternativas. A alternativa não é ‘matar a galinha e, sim, fazer com que a galinha possa botar mais ovos’. Vamos em busca de alternativas, pedir mais prazo ao MP para que Estância possa se adequar às regras de um matadouro moderno”, reforçou.

“Fechar o matadouro de Estância é uma das maiores agressões ao nosso município”, finalizou.

 

 

Ascom CME

Genílson Máximo